Retrato da Rapariga em Chamas

Reação dos fãs:

0

Duração: 121 minutos

Data de Estreia: 17 / 06 / 2019

Orçamento: Sem Informação

Receita: Sem Informação

Linguagem: Francês

Status: Lançado

Produtora /s:

Lilies Films ARTE France Cinéma Hold Up Films Canal+ Ciné+ ARTE Cinécap 2 La Région Île-de-France CNC Neon

Tua reação:
0

Partilha

Sinopse

1770. Marianne é pintora e tem de pintar o retrato de casamento de Héloïse, uma jovem que acaba de sair do convento. Héloïse resiste ao seu destino de esposa, recusando posar. Marianne tem de a pintar em segredo. Apresentada como dama de companhia, observa-a todos os dias.

Review

ranting

Reviews: 116
Seguidores: 2


Retrato De Uma Rapariga Em Chamas

Reação dos fãs:

0

30 / 07 / 2020

Este é o primeiro filme que vi num cinema depois de estar fechado em casa por causa da pandemia, e não poderia ter escolhido melhor, porque este filme é também sobre uma história de superação e liberdades, liberdades essas (ou a falta delas) muito piores do que aquilo que cada um de nós teve que passar durante esta pandemia.


Uma professora de arte é levada a lembrar-se da história da rapariga da qual pintou um retrato, um retrato de corpo inteiro em que a rapariga aparece rodeada de labaredas. Conheceram-se quando ficou encarregue de pintar um retrato da rapariga para dar início ao acordo de casamento que a mãe da rapariga a obrigou a tomar. Numa ilha, vão-se conhecendo e tentando enfrentar a falta de liberdade que têm em ser mulheres, em não poderem decidir como os homens, em não serem livres de amar quem quiserem como os homens podiam. 


É um filme que é um quadro, um quadro de museu, com sala só para ele, devia chamar todo o mundo para o ver porque, a falta de liberdades, a dificuldade que parece ser coisa de filme, irreal, de ser mulher ainda acontece nos dias de hoje, ainda não é possível amar quem se quiser, vestir, ter o corpo como se quiser porque a sociedade ainda é machista. 


São três interpretações extraordinárias de atrizes espectaculares, Noémi Merlant como Marianne, Adèle Haenel como Héloïse e Luana Bajrami como Sophie (esta última não uma das personagens principais mas que, para mim, tem uma importância fundamental na história e uma performance incrível). O momento da fogueira com aquele coro de vozes, o barulho do fogo e os olhares das protagonistas é de uma beleza incomparável e só esse devia ter sido suficiente para ser nomeado para os Óscares. 


É um filme muito bonito que me arrepiou do princípio ao fim, recomendo vivamente a todos!!





Transmita tua reação:


0

tags:

Beta 1.0

Por favor faça login primeiro