Joker

Reação dos fãs:

0

Duração: 122 minutos

Data de Estreia: 02 / 10 / 2019

Orçamento: $ 55.000.000

Receita: $ 1.074.251.311

Linguagem: Inglês

Status: Lançado

Produtora /s:

DC Entertainment Warner Bros. Pictures DC Comics Joint Effort Village Roadshow Pictures Bron Studios Creative Wealth Media Finance DC Films 22 & Indiana Pictures

Tua reação:
0

Partilha

Sinopse

Arthur Fleck é um homem que enfrenta a crueldade e o desprezo da sociedade, juntamente com a indiferença de um sistema que lhe permite passar da vulnerabilidade para a depravação. Durante o dia é um palhaço e à noite luta para se tornar um artista de stand-up comedy…mas descobre que é ele próprio a piada. Sempre diferente de todos em seu redor, o seu riso incontrolável e inapropriado, ganha ainda mais força quando tenta contê-lo, expondo-o a situações ridículas e até à violência. Preso numa existência cíclica que oscila entre o precipício da realidade e da loucura, uma má decisão acarreta uma reacção em cadeia de eventos crescentes e, por fim, mortais.

Review

ranting

Reviews: 60
Seguidores: 2


Joker

Reação dos fãs:

0

04 / 09 / 2020

"Is it just me, or is it getting crazier out there?” 


Esta frase, do Joker, explica tudo. Explica porque é que este filme é o que é. Se o mundo é doido, nós temos de começar a dizer as coisas como elas são.


Quando o filme estreou, teve ótimas críticas, ganhou prémios e foi aplaudido de pé. Mas depois, começámos a ser relembrados de que temos de ser politicamente corretos e que a mensagem do filme pode provocar algumas reações. Por isso, o filme começou a ser julgado não pelo seu mérito, mas pela sua mensagem, que muitas pessoas afirmam ser uma mensagem que promove a violência e faz um vilão parecer um herói.


Ironicamente, é aqui que eu acho que o filme foi avassalador. O filme não promove a violência. Se olharmos bem para o filme, o Joker mata menos pessoas num filme inteiro do que “John Wick” em sessenta segundos do seu filme. Mas em vez de olharmos para este facto, nós devíamos era pensar sobre o porquê de tudo ter acontecido e em como nós, como sociedade, podemos ajudar estas pessoas. Devemos focar-nos nas reações, mas também nas ações que nos levaram a tal.


Este filme não é sobre super-heróis ou vilões. Não vale a pena discutirmos quem é o melhor Joker, porque este filme não se importa com isso. Há coisas mais importantes para discutir e o Ledger pode continuar a ter o título de melhor Joker, porque este quer fazer tremer o mundo.


Todd Phillips decidiu colocar um espelho em frente à sociedade, e quando a sociedade decidiu desviar o olhar, partiu o espelho na cara dela. Ele não fez um filme sobre banda desenhada, não, ele tinha algo que queria dizer, algo que precisava ser dito. E como ele sabia que as pessoas não iam ao cinema ver esse filme, escondeu a mensagem dentro de um filme do Joker e no caminho ainda fez algumas referências ao Batman.


A cinematografia e o som são incríveis, e sim, muitos vão comparar com Taxi Driver, mas quando a crítica é comparar o teu filme a um dos melhores filmes de sempre, então acho que todos deviamos ficar contentes.


A banda sonora é sombria e ajuda muito o filme a entrar dentro de ti e isso combinado com imagens lindíssimas, eleva o filme a um nível de arte.


O filme tem muitas camadas. Está sempre entre a fantasia e a realidade e no fim, deixa os espectadores a acreditar naquilo que acham ser verdade. Esta é outra decisão que, na minha opinião, torna-o ainda mais interessante. Com uma mensagem que nos faz pensar no tipo de sociedade que somos, em que muitos viram Joker a ser glorificado, mas facilmente também podemos ver outro lado. Mas não vamos entrar por aí para evitar spoilers.


Todas as componentes de que falei anteriormente podiam ser suficientes para criar um grande filme, mas este é o filme de Joaquin Phoenix. Sim, há outras pessoas neste filme, e uma delas é uma lenda, o Robert Deniro, mas ninguém quer saber, Phoenix rouba todos os segundos do filme. Ele absorve completamente o argumento e reflete-o sem barreiras e sem se importar se ofende alguém.


Ele deixa o seu corpo, olhos e jeitos contar uma história de conflito, de alguém que está a ter um esgotamento, mas que poderia ser salvo com um pequeno gesto de bondade.


Muitos vão ver este filme como uma forma de justificar os atos de um monstro, mas acreditamos mesmo que todos os monstros já nascem assim, monstros?


Não vale a pena tentar perceber que podia ter sido feito algo para ajudar?


Phoenix é incrível e honestamente não esperava que a Academia tivesse coragem suficiente para lhe dar o prémio de Melhor Ator. Mas também acho que ele não se importa com o reconhecimento que vai ter agora, talvez prefira que, em 50 anos, as pessoas reconheçam o filme como uma obra-prima, tal como Taxi Driver.


Este filme é sobre a sociedade, como uma ideia pode ser um vírus. Se essa ideia deixar pessoas que se sentem de fora, sentirem-se ainda mais deslocadas, as pessoas más vão aproveitar-se desse desespero. Já o vemos hoje e continuaremos a ver.


É sobre o forte atacar o fraco, é sobre bullying e em como nós, sociedade, achamos que está tudo bem. Decidiram fazer um filme que se passa num tempo antes da Internet e eu acho que não foi por coincidência. Nesse tempo, o bullying era cara a cara e quando o vemos, automaticamente achamos que é errado. Mas hoje, atrás de um ecrã atacamos todos e nem pensamos nas consequências ou nos efeitos que podemos ter na pessoa do outro lado.


Porque é que não estamos todos a discutir sobre isto? Este filme está a mostrar-nos o que acontece, mas não nos explica o porquê de ser uma realidade.


Porque é que não estamos a lutar contra essas pessoas? Podem ser os nossos amigos, a nossa família ou até mesmo com o presidente mas temos que ser honestos e dizer que estão errados. Temos de defender as pessoas que se sentem perdidas, antes que seja tarde de mais.


Este foi facilmente o melhor filme do ano e se abrir os olhos a algumas pessoas, prova que é um dos mais importantes desta geração.




Transmita tua reação:


0
Beta 1.0

Por favor faça login primeiro